SOODGI | Sobre os ombros de gigantes

O ALMANAQUE DE NAVAL RAVIKANT: UM GUIA PARA RIQUEZA E FELICIDADE

Esta é uma tradução autorizada do livro The Almanack of Naval Ravikant, editada a partir da versão final publicada. Para acessar o artigo original em inglês clique aqui. Para saber mais sobre o projeto e ver mais conteúdos em português acesse aqui.

SALVANDO-SE: ESCOLHENDO CONSTRUIR A SI MESMO

A maior superpotência é a capacidade de mudar a si mesmo.

Qual foi o maior erro que você cometeu em sua vida e como se recuperou?

Eu cometi uma classe de erros que eu resumiria da mesma forma. Os erros eram óbvios apenas em retrospectiva através de um exercício, que é perguntar a si mesmo: quando você tiver trinta anos, que conselho você daria a você mesmo de vinte anos? E quando você tiver quarenta anos, que conselho você daria ao seu eu de trinta anos de idade? (Talvez se você for mais jovem, você possa fazê-lo a cada cinco anos.) Sente-se e diga: “Certo, 2007, o que eu estava fazendo? Como eu estava me sentindo? 2008, o que eu estava fazendo? Como eu estava me sentindo? 2009, o que eu estava fazendo? Como eu estava me sentindo?”

A vida vai se desenrolar do jeito que for. Haverá alguns pontos bons e outros maus. Na verdade, a maior parte depende apenas de sua interpretação. Você nasce, você tem um conjunto de experiências sensoriais e depois morre. Como você escolhe interpretar essas experiências depende de você, e pessoas diferentes as interpretam de maneiras diferentes.

Na verdade, eu gostaria de ter feito todas as mesmas coisas, mas com menos emoção e menos raiva. O exemplo mais famoso foi quando eu era mais jovem, eu fundei uma empresa. Esta empresa se saiu bem, mas eu não me saí bem, então processei algumas das pessoas envolvidas. Foi um bom resultado para mim no final, e tudo funcionou bem, mas houve muita angústia e muita raiva.

Hoje, eu não teria a angústia e a raiva. Eu teria apenas caminhado até as pessoas e dito: “Olha, foi isto que aconteceu. Isto é o que eu vou fazer”. É assim que eu vou fazer”. Isto é o que é justo. Isto é o que não é”.

Eu teria percebido que a raiva e as emoções são uma consequência enorme e completamente desnecessária. Agora, estou tentando aprender com isso e fazer as mesmas coisas que acho que são as coisas certas a fazer, mas sem raiva e com um ponto de vista de muito longo prazo. Se você tivesse um ponto de vista de muito longo prazo e retirasse a emoção disso, eu não consideraria mais essas coisas como erros. [4]

Mais uma vez, os hábitos são tudo o que somos. Somos treinados em hábitos desde quando somos crianças, inclusive no penico, quando devemos chorar e quando não devemos, quando devemos sorrir e quando não devemos. Essas coisas se tornam hábitos — comportamentos que aprendemos e integramos em nós mesmos.

Quando somos mais velhos, somos uma coleção de milhares de hábitos que funcionam constantemente de forma subconsciente. Temos um pouco mais de inteligência em nosso neocórtex para resolver novos problemas. Você se torna seus hábitos.

Isto veio à tona para mim quando meu treinador me deu uma rotina para fazer todos os dias. Eu nunca havia exercitado todos os dias antes. É um exercício leve. Não é duro para seu corpo, mas eu fiz este exercício todos os dias. Percebi a incrível e surpreendente transformação que teve em mim, tanto fisicamente como mentalmente.

Para ter paz de espírito, é preciso primeiro ter paz de corpo.

Isto me ensinou o poder dos hábitos. Comecei a perceber que se tratava de hábitos. A qualquer momento, ou estou tentando pegar um bom hábito ou descartar um mau hábito anterior. Isso leva tempo.

Se alguém diz: “Eu quero estar em forma, quero estar saudável. Neste momento, estou fora de forma e estou gordo”. Bem, nada sustentável vai funcionar para você em três meses. Será uma jornada de pelo menos dez anos. A cada seis meses (dependendo de quão rápido você possa fazer isso), você vai quebrar maus hábitos e pegar bons hábitos. [6]

Uma das coisas de que Krishnamurti fala é estar em um estado interno de revolução. Você deve estar sempre pronto internamente para uma mudança completa. Sempre que dizemos que vamos tentar fazer alguma coisa ou tentar formar um hábito, estamos nos desvanecendo.

Estamos apenas dizendo para nós mesmos: “Vou ganhar mais algum tempo”. A realidade é que quando nossas emoções querem que façamos algo, nós apenas fazemos. Se você quiser se aproximar de uma garota bonita, se você quiser tomar uma bebida, se você realmente desejar algo, você simplesmente vai fazer isso.

Quando você diz: “Eu vou fazer isto” e “eu vou ser aquilo”, você está realmente adiando. Você está se dando por vencido. Pelo menos se você estiver consciente de si mesmo, você pode pensar: “‘Eu digo que quero fazer isto, mas não quero mesmo, porque se eu realmente quisesse fazer isto, eu apenas o faria”.

Comprometa-se externamente com pessoas suficientes. Por exemplo, se você quiser parar de fumar, tudo o que você tem que fazer é ir até todos que você conhece e dizer: “Eu parei de fumar. Eu fiz isso. Eu lhe dou minha palavra”.

Isso é tudo o que você precisa fazer. Vá em frente, certo? Mas a maioria de nós diz que ainda não está pronto. Sabemos que não queremos nos comprometer externamente. É importante ser honesto consigo mesmo e dizer: “Certo, eu não estou pronto para deixar de fumar. Eu gosto demais, vai ser muito difícil para mim desistir”.

Em vez disso, diga: “Vou estabelecer um objetivo mais razoável para mim mesmo; vou reduzir para a seguinte quantidade. Posso me comprometer com isso externamente. Vou trabalhar nisso por três ou seis meses. Quando chegar lá, darei o próximo passo, em vez de me bater por causa disso”.

Quando você realmente quer mudar, você simplesmente muda. Mas a maioria de nós não quer realmente mudar — ainda não queremos passar pela dor. Pelo menos reconheça, esteja ciente disso e dê a si mesmo uma mudança menor que você possa realmente realizar. [6]

Impaciência com as ações, paciência com os resultados.

Qualquer coisa que você tenha que fazer, é só fazer. Por que esperar? Você não está ficando mais jovem. Sua vida está se esvaindo. Você não quer gastá-la esperando na fila. Você não quer passá-la viajando para frente e para trás. Você não quer gastá-la fazendo coisas que você sabe que não fazem parte de sua missão.

Quando você as faz, você quer fazê-las o mais rápido possível enquanto as faz bem com toda a sua atenção. Mas então, você só tem que ser paciente com os resultados porque está lidando com sistemas complexos e muitas pessoas.

Leva muito tempo para que os mercados adotem produtos. Leva tempo para que as pessoas se sintam à vontade para trabalhar umas com as outras. Leva tempo para que grandes produtos surjam à medida que você dá polimento, dá polimento, dá polimento. Impaciência com as ações, paciência com os resultados. Como disse Nivi, a inspiração é perecível. Quando você tiver inspiração, aja logo em seguida. [78]

Ilustração navalmanaque

Caso queira falar sobre o texto você pode utilizar a caixa de comentários mais abaixo. Para receber um aviso por email de novos conteúdos assine a nossa Newsletter

ANTERIOR

Meditação mais força mental

PRÓXIMO

Escolhendo crescer a si mesmo

Comentários:

Compartilhe este conteúdo: