SOODGI | Sobre os ombros de gigantes

O ALMANAQUE DE NAVAL RAVIKANT: UM GUIA PARA RIQUEZA E FELICIDADE

Esta é uma tradução autorizada do livro The Almanack of Naval Ravikant, editada a partir da versão final publicada. Para acessar o artigo original em inglês clique aqui. Para saber mais sobre o projeto e ver mais conteúdos em português acesse aqui.

FILOSOFIA: OS SIGNIFICADOS DA VIDA

PARTE II — FILOSOFIA

As verdadeiras verdades são heresias. Elas não podem ser ditas. Apenas descobertas, sussurradas, e talvez lidas.

Uma grande questão, realmente sem limites: qual é o significado e a finalidade da vida?

Essa é uma grande questão. Porque é uma grande questão, eu lhe darei três respostas.

Resposta 1: É pessoal. Você tem que encontrar seu próprio significado. Qualquer pedaço de sabedoria que alguém lhe der, seja Buda ou eu, vai soar como um disparate. Fundamentalmente, você tem que encontrá-lo por si mesmo, então a parte importante não é a resposta, é a pergunta. Você só tem que se sentar e cavar com a pergunta. Pode levar anos ou décadas. Quando você encontrar uma resposta com a qual esteja satisfeito, ela será fundamental para sua vida.

Resposta 2: Não existe nenhum significado para a vida. Não há propósito para a vida. Osho disse: “É como escrever na água ou construir casas de areia”. A realidade é que você está morto há 10 bilhões de anos ou mais para a história do Universo. Você estará morto pelos próximos 70 bilhões de anos ou mais, até a morte por aquecimento do Universo.

Tudo o que você fizer irá desvanecer. Desaparecerá, assim como a raça humana desaparecerá e o planeta desaparecerá. Até mesmo o grupo que coloniza Marte desaparecerá. Ninguém vai se lembrar de você depois de um certo número de gerações, quer você seja um artista, um poeta, um conquistador, um pobre, ou qualquer outra pessoa. Não há significado.

Você tem que criar seu próprio significado, que é o que se resume. Você tem que decidir:

“Esta é uma peça que estou apenas assistindo?”

“Há uma dança de auto realização que eu estou fazendo?”

“Há alguma coisa específica que eu deseje só pelo inferno disso?”

Estes são todos os significados que você inventa.

Não há um significado fundamental e intrínseco para o Universo. Se houvesse, então você apenas faria a próxima pergunta. Você diria: “Por que esse é o significado?”. Seria, como disse o físico Richard Feynman “tartarugas até o fim”. Os “por que” continuariam a se acumular. Não há resposta que você pudesse dar que não teria outro “por quê”.

Eu não compro as respostas de vida eterna depois da morte porque é uma loucura para mim, sem absolutamente nenhuma evidência, acreditar que, por causa de como você vive setenta anos aqui neste planeta, você vai passar a eternidade, que é um tempo muito longo, em alguma vida depois da morte. Que tipo de Deus tolo o julga para a eternidade com base em algum pequeno período de tempo aqui? Eu acho que depois desta vida é muito parecido com antes de você ter nascido. Lembra-se disso? Vai ser exatamente assim.

Antes de você nascer, você não se importava com nada nem com ninguém, incluindo seus entes queridos, incluindo você mesmo, incluindo os humanos, inclusive se vamos a Marte ou se ficamos no planeta Terra, se há uma IA (inteligência artificial) ou não. Após a morte, você também não se importa.

Resposta 3: A última resposta que vou lhe dar é um pouco mais complicada. Pelo que li na ciência (amigos meus escreveram livros sobre isso), eu costurei algumas teorias. Talvez haja um sentido para a vida, mas não é um propósito muito gratificante.

Basicamente, na física, a flecha do tempo vem da entropia. A segunda lei da termodinâmica afirma que a entropia só aumenta, o que significa que a desordem no Universo só aumenta, o que significa que a energia livre concentrada só diminui. Se você olhar para os seres vivos (humanos, plantas, civilizações, o que você tem), estes sistemas estão revertendo a entropia localmente. Os humanos localmente revertem a entropia porque temos ação.

No processo, nós aceleramos globalmente a entropia até a morte por aquecimento do Universo. Você poderia inventar uma teoria fantasiosa, que eu gosto, de que estamos caminhando para a morte por aquecimento do Universo. Nessa morte, não há energia concentrada, e tudo está no mesmo nível de energia. Portanto, somos todos uma coisa. Somos essencialmente indistinguíveis.

O que fazemos como sistemas vivos acelera a chegada a esse estado. O sistema mais complexo que você cria, seja através de computadores, civilização, arte, matemática ou criação de uma família — você realmente acelera a morte por aquecimento do Universo. Você está nos empurrando para este ponto em que acabamos como uma só coisa. [4]

Caso queira falar sobre o texto você pode utilizar a caixa de comentários mais abaixo. Para receber um aviso por email de novos conteúdos assine a nossa Newsletter

ANTERIOR

Escolhendo se libertar

PRÓXIMO

Viva de acordo com os seus valores

Comentários:

Compartilhe este conteúdo: